Foto: Reprodução

Em conversa com o Varela Notícias, na noite desta quarta-feira (29), Taissa Gama confirmou a autenticidade das ligações, afirmou que não foi informada de que estava sendo gravada e disse se arrepender. Além disso, a secretária garante que a ex-funcionária pediu dinheiro pelo material antes de levá-lo à imprensa: “Eu liguei pra ela no meu telefone pessoal, no meu horário de almoço, como pessoa física eu realmente saí do meu controle e falei com ela de forma mais dura. Me arrependo de ter ligado pra ela, mas essa gravação que ela fez é ilegal. Ela não me avisou hora nenhuma que estava gravando, só no final. E ainda ameaçou, pedindo dinheiro por essa gravação. Não tenho nada a temer”.

A denúncia de uma ex-funcionária de Taissa Gama contra a secretária de Políticas para Mulheres, Infância e Juventude, publicada pelo Varela Notícias na noite desta quarta-feira (29), ainda promete render diversos desdobramentos.

O VN teve acesso a gravações de ligações telefônicas entre Taissa e Schirley Pinheiro, sua ex-funcionária que acusa a secretária de agressão e ameaça.

Na ligação, abaixo, Taissa pede para Schirley se preparar, chama a ex-funcionária de nomes como “vagabunda” e “p**”, além de falar em tom de ameaça: “Você não sabe com quem está brincando”. No áudio, Schirley responde: “Você como secretária, você esta precisando se tratar, porque eu não dirigi minha palavra a você, tudo que se usa ali é a carapuça, eu não sou vagabunda não, eu sou mãe de família, e honro”. Em outro momento, ao dizer que está sendo ameaçada, Schirley ouve da secretária palavras de baixo calão.

Ouça: https://soundcloud.com/reda-o-varela-noticias/conversa-taissa-gama

No segundo áudio, Taissa, ao saber que está sendo gravada, duvida e desdenha da ex-funcionária, novamente com xingamentos impublicáveis: “Grave, sua putin**. Grave tudo, você está gravando nada, você não tem dinheiro nem pra comer, rapaz”.

Ouça: https://soundcloud.com/reda-o-varela-noticias/taissa-gama-denuncia

Em conversa com o Varela Notícias, na noite desta quarta-feira (29), Taissa Gama confirmou a autenticidade das ligações, afirmou que não foi informada de que estava sendo gravada e disse se arrepender. Além disso, a secretária garante que a ex-funcionária pediu dinheiro pelo material antes de levá-lo à imprensa: “Eu liguei pra ela no meu telefone pessoal, no meu horário de almoço, como pessoa física eu realmente saí do meu controle e falei com ela de forma mais dura. Me arrependo de ter ligado pra ela, mas essa gravação que ela fez é ilegal. Ela não me avisou hora nenhuma que estava gravando, só no final. E ainda ameaçou, pedindo dinheiro por essa gravação. Não tenho nada a temer”.