MP pede ao TSE que casse chapa Dilma-Temer e torne Dilma inelegível

Foto: Lula Marques / AGPT

O Ministério Público Eleitoral pediu ao Tribunal Superior Eleitoral a cassação dos diplomas de Dilma Rousseff e Michel Temer, eleitos presidente e vice-presidente em 2014. No parecer, que ainda permanece em sigilo, o vice-procurador-geral eleitoral, Nicolao Dino, pediu também ao TSE que declare Dilma inelegível pelos próximos oito anos, de acordo com o portal G1.

A manifestação do MPE, órgão acusador no processo, foi dada na ação que pode levar à cassação da chapa que elegeu Dilma e Temer. O documento é uma das peças que será levada para julgamento. Entregaram alegações finais também o PT, o PMDB e o PSDB, partes no processo. O processo começa a ser julgado pelo TSE na próxima terça-feira (4).

De acordo com o MPE, “a então candidata Dilma Vana Rousseff tinha conhecimento sobre a forma dos pagamentos realizados a João Santana, responsável por sua campanha, via caixa dois”. Ainda de acordo com o  vice-procurador-geral eleitoral, Nicolau Dino,  Marcelo Odebrecht disse “expressamente tal fato”ao mencionar que “João Santana era relação direta Dilma, Guido e eu”.

Apesar de alegar que as circunstâncias “atraem a responsabilidade direta para a representada”, e, com isso, atraindo a sanção de inelegibilidade prevista para Dilma, o MPE afirma que, sobre Temer, “há que se registrar que ele não foi mencionado nos depoimentos dos executivos da Odebrecht”.

No documento, o Ministério Público Eleitoral pede a perda de mandato por Temer, mas podendo disputar eleições. Já para Dilma, o órgão requer que ela não possa mais se candidatar. (Metro 1)