Plano engendrado nos bastidores petistas não permitirá uma eventual prisão do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, caso esta venha a ser decretada.

Presentemente, a situação está tranquila, vez que o processo encontra-se nas mãos do ministro Teori Zavascki, do Supremo Tribunal Federal. Porém, é certo que após analisada a questão que envolve a presidente Dilma Rousseff, detentora de foro privilegiado e com a manutenção da suspensão da posse do ex-presidente no ministério da Casa Civil, quando também passaria a ter foro privilegiado, o processo fatalmente retornará para a 1ª instância, sob a responsabilidade do temido juiz federal Sérgio Moro.

O plano de fuga teria começado a ser arquitetado após a condução coercitiva de Lula.

Numa ligação flagrada entre Lula e Alberto Carlos Almeida, um cientista político, proprietário do Instituto Análise, um dos principais conselheiros do ex-presidente, todo o temor foi revelado. Este disse a Lula que teria lido os relatórios do juiz Sérgio Moro e que juridicamente o ex-presidente estaria totalmente sem saída, aconselhando-o a assumir com urgência o ministério.

Leia na íntegra