Espetáculo “A Voz Humana” com a atriz global, Cláudia Ohana chega a Petrolina, dias 12 e 13 de setembro às 20h, no Teatro Sesc Dona Amélia. Imperdível!

+Info: (74) 9198.2750 / (74) 8838.1528

Realização: Cereja Produções

O ex-ministro da Casa Civil, José Dirceu, durante audiência que ouve os presos da operação Lava Jato na CPI da Petrobras, no prédio da Justiça Federal do Paraná, em Curitiba, na manhã desta segunda-feira (31)

O ex-ministro da Casa Civil, José Dirceu, durante audiência que ouve os presos da operação Lava Jato na CPI da Petrobras, no prédio da Justiça Federal do Paraná, em Curitiba, na manhã desta segunda-feira (31) (Vagner Rosário/VEJA.com)

A defesa do ex-ministro da Casa Civil José Dirceu (PT) encaminhou nesta segunda-feira ao juiz Sergio Moro pedido para que ele seja transferido da carceragem da Polícia Federal em Curitiba (PR), onde está detido desde o dia 3 de agosto, para a cadeia do Complexo Médico-Penal na região metropolitana da capital paranaense. Antes de formalizar o pedido de transferência, Dirceu ponderou que na cadeia, apesar de a comida ser pior que as refeições da PF, há mais banhos de sol e espaço de alojamento. “[Na cadeia] É mais salubre. O espaço físico é melhor. O problema aqui [na PF] é o espaço fechado, não tem sol. Tem um terracinho que, por meia hora por dia, quando muito, se tem contato com a luz solar. Isso é insalubre para um homem de 70 anos de idade e preso”, disse o advogado de Dirceu, Roberto Podval. Se conseguir ser transferido para a cadeia, o próximo passo será pedir também que José Dirceu volte a Brasília e continue cumprindo prisão domiciliar. Ele estava na domiciliar por ter sido condenado no julgamento do mensalão quando foi detido na Lava Jato. (Veja/Laryssa Borges, de Curitiba)

(Foto reprodução/Google)

A presidente Dilma Rousseff receberá nesta terça-feira (1º) no Palácio do Planalto o presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), segundo informou a Secretaria de Comunicação Social da Presidência. Este será o primeiro encontro entre os dois desde que o peemedebista anunciou o “rompimento” com o Palácio do Planalto.

Em julho, Cunha anunciou rompimento político com o governo e informou que faria parte da oposição. Desde então, ele e Dilma não se reuniram mais. À época do anúncio, a Presidência divulgou uma nota na qual afirmou esperar que a decisão de Cunha não se refletisse em seus atos como presidente da Câmara. O partido de Cunha, o PMDB, presidido pelo vice-presidente da República, Michel Temer, chegou a divulgar uma nota na qual disse que o anúncio era “estritamente pessoal”.

O encontro entre Dilma e Cunha ocorre em meio a uma crise política no governo. A popularidade da petista é a mais baixa desde que ela assumiu o Palácio do Planalto, em 2011, e setores da oposição defendem o afastamento dela do poder.

No Legislativo, o governo tem sofrido sucessivas derrotas, como ocorreu na votação de uma Proposta de Emenda à Constituição (PEC), aprovada em primeiro turno pelos deputados, que eleva os gastos do governo com reajuste para as carreiras da Avocacia-Geral da União (AGU).

A reunião entre a presidente e o peemedebista se dá também em um contexto de aproximação entre Dilma e o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), que chegou a divulgar uma série de propostas para reaquecer a economia e que foi elogiada por Dilma.

O anúncio de Cunha de que havia rompido com o Palácio do Planalto ocorreu um dia após o consultor da empresa Toyo Setal, um dos delatores na Operação Lava Jato, dizer que o presidente da Câmara havia lhe pedido propina de US$ 5 milhões.

Na ocasião, Eduardo Cunha acusou o Palácio Planalto de ter se articulado com o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, para incriminá-lo na operação. Ele também chegou a dizer, sem citar nomes, que há no Planalto “brando de aloprados” que age contra ele. (G1)

POPULISMO AGONIZANTE

(Foto reprodução/Google)

Editorial do Estadão

É da natureza do populismo partir do princípio de que o povo é ignorante e acrítico, incapaz de discernir o falso do verdadeiro em matéria de política. O populismo prospera onde a ignorância impera. Os populistas, portanto, cultivam a ignorância. Um de seus truques é repetir mentiras incansavelmente até que sejam aceitas como verdades. É o que estão fazendo Lula, Dilma e o PT, no desespero de sobreviverem no fundo do poço em que foram colocados pelo descrédito popular. Para eles, tudo o que não convém ao populismo petista é “golpe”. Principalmente fazer oposição ao governo.

Diante de uma plateia de mais de 2 mil pessoas em Montes Claros, Minas Gerais, Luiz Inácio Lula da Silva não fez cerimônia: “Eu gostaria que todos aqueles que todo santo dia inventam um golpe para tirar Dilma aprendessem a respeitar a democracia (…). Se eles querem o poder, que esperem 2018. Mas não venham com golpe”. A presidente Dilma foi mais sutil – imaginem só – falando a atletas em solenidade no Palácio do Planalto: “É possível sofrer derrotas, dificuldades no caminho, mas todo atleta levanta e segue em frente. Muitas vezes não ganha na primeira, na segunda ou na terceira. E segue lutando para ganhar. E respeita o resultado do outro atleta, que é o vencedor”. Por sua vez, o presidente do PT, Rui Falcão, em reunião com lideranças petistas em São Paulo, queixou-se de que a oposição tenta “enfraquecer a presidente”. Esperava o quê?

» Clique para continuar lendo

 

A SOLUÇÃO DE ABÍLIO

Abílio: solução para a crise

Abílio: solução para a crise

Abilio  Diniz acaba de ser aplaudido no meio da fala no evento Exame Forum 2015, que se realiza hoje em São Paulo,  ao sugerir que Lula, FHC e Michel Temer entrem numa sala e de lá só saiam quando tiverem um acordo para gerir a crise, sem pensar no interesse de cada um ou dos seus respectivos partidos.

Em seguida, defendeu Joaquim Levy.

E Dilma? Ela foi ignorada por Abilio. (Veja)

Por Lauro Jardim

Senador Aécio Neves (PSDB-MG)

Senador Aécio Neves (PSDB-MG)

A confirmação de que o governo espera um rombo de 30,5 bilhões de reais para o Orçamento do ano que vem provocou a reação de parlamentares de oposição nesta segunda-feira. Para o senador Aécio Neves (PSDB-MG), a proposta deficitária atesta a “incapacidade e a incompetência” do governo. Congressistas defendem que o texto seja devolvido ao Executivo.

“Hoje estamos assistindo ao definitivo atestado de incompetência desse governo que, ao gastar de forma perdulária e irresponsável para vencer as eleições, não consegue fazer o que é essencial”, afirmou o senador tucano. “O Brasil está hoje em recessão técnica, com dois trimestres consecutivos de crescimento negativo. Já anunciávamos e alertávamos para esse risco durante o processo eleitoral, mas a resposta do governo foi um desdém absoluto em relação a essa questão. Não tomaram as providências que deveriam ter sido tomadas para minimizar, pelo menos para uma parcela da população, os efeitos gravíssimos que hoje ela sofre. Lamentavelmente, temos que afirmar que o Brasil não tem mais governo”.

Leia na íntegra

Odebrecht

Delatores da Operação Lava Jato confirmaram nesta segunda-feira ao juiz Sergio Moro que a construtora Norberto Odebrecht participava do chamado Clube do Bilhão, cartel de empreiteiras que faria ajustes de licitação na Petrobras e distriNorberto Odebrechtbuía propina para diretores da estatal. Segundo os lobistas Julio Camargo e Augusto Mendonça, que integraram os quadros da empresa Setal e fecharam acordos de delação premiada com o Ministério Público, cabia ao executivo Márcio Faria negociar em nome da Odebrecht como seriam fraudados os contratos e distribuída a propina para autoridades como os ex-diretores da Petrobras Paulo Roberto Costa e Renato Duque. Os depoimentos desta segunda foram os primeiros na instrução da ação penal em que Marcelo Odebrecht e executivos ligados à empresa são acusados de crimes como corrupção, lavagem de dinheiro e organização criminosa.

De acordo com o executivo Julio Camargo, “todas as empresas” que disputavam grandes contratos com a Petrobras e integravam o Clube do Bilhão pagavam propina. Os repasses de dinheiro sujo, disse, começaram em 2005 e eram um “fato consumado”, um “modus operandi conhecido”. “[O pagamento de propina] Não era um assunto com que se preocupasse no momento porque era a regra do jogo. Sabíamos que ao final esse número [de propina] iria aparecer”, resumiu Camargo.

Para o lobista Augusto Mendonça, o pagamento de propina era consolidado por haver um “temor” das companhias de que os ex-diretores Paulo Roberto Costa e Renato Duque barrassem contratos se não recebessem dinheiro. “A capacidade de um diretor da Petrobras atrapalhar era muito grande. As empresas tinham medo de não pagar”, disse. “A conversa não era tão truculenta nem dura, mas se sabia que teria muita dificuldade na realização dos contratos. Nenhuma pessoa pediria uma retribuição se não tivesse uma ameaça em troca”, explicou.

Leia na íntegra

A presidente Dilma Rousseff no Palácio do Planalto, nesta quinta-feira (27)

Dilma Rousseff, no Palácio do Planalto: corrupção colou na imagem da petista

A corrupção colou na imagem que os brasileiros têm da presidente Dilma Rousseff. Um levantamento feito pelo Instituto Paraná Pesquisas revelou que 83,5% dos entrevistados acreditam que ela sabia dos esquemas de corrupção na Petrobras desvendados pela Operação Lava Jato. O índice chega a 86,3% na região Sudeste e cai para 78% no Nordeste. De acordo com 75,7%, diante da corrupção na Petrobras e no governo federal revelada pela justiça federal, caberia à presidente fazer um pedido de desculpas ao país.

O ex-presidente Lula também foi contaminado pelo escândalo. Para 84,2% dos entrevistados, ele também sabia dos desvios na estatal. Os índices oscilam entre 87,3% no Sudeste e 76,9% no Nordeste. Apesar da convicção ser predominante, 66,3% acham que Lula não será preso na operação. Para 65,6%, as investigações correm o risco de acabar em pizza. Outros 24,6% discordam que a operação terá desse desfecho. Quanto ao que foi apurado até o momento pela operação, 47,2% acham que há muita corrupção que nem virá a público e 45,9% dizem que ainda há muita corrupção a ser apurada e trazida a público. Apenas 5,9% acham que a maior parte da corrupção já foi investigada e divulgada.

O estudo mostra que a falta de fiscalização dos tribunais competentes (42,9%), o governo (26%) e os partidos políticos e campanhas eleitorais (13,3%) são os principais responsáveis pelo petrolão.

A pesquisa também testou a popularidade do juiz Sergio Moro: 16,8% dos entrevistados souberam citar o nome do juiz federal que comanda a Lava Jato, índice que sobe para 26% no sul do país. Os números traduzem ainda o desejo da população de ver punidos os envolvidos. Para 54,2%, as prisões ordenadas até o momento são penas leves, outros 40,6% dizem serem justas e apenas 3,8% disseram ver exagero nas medidas. Em relação às delações premiadas, 55% defendem o método como forma de os investigados contribuírem com a justiça e 37,5% são contra. Sobre a confiabilidade das informações dos delatores, 34,6% as classificam como confiáveis, enquanto 50,5% afirmam não confiar nas declarações dos envolvidos.

Leia na íntegra

Dalton dos Santos Avancini, presidente da Camargo Correa

Dalton dos Santos Avancini, ex-presidente da Camargo Correa(Valor/VEJA)

Condenado a quinze anos de prisão na Operação Lava Jato há pouco mais de um mês, o executivo Dalton Avancini, ex-presidente da construtora Camargo Corrêa, afirma que o juiz federal Sergio Moro, é, na verdade, a “esperança do Brasil” por conduzir com “linha dura” os processos do maior escândalo de corrupção do país. Com uma tornozeleira eletrônica estrategicamente escondida no termo bem cortado, Avancini conversou rapidamente com o site de VEJA pouco antes de depor como testemunha de acusação no inquérito em que é réu Marcelo Odebrecht, o maior empreiteiro do país. Ao juiz Sergio Moro, Dalton Avancini promete detalhar a participação da Odebrecht no Clube do Bilhão, cartel de empreiteiras que fraudava contratos com a Petrobras e distribuía propina a agentes públicos.

“Sergio Moro é linha dura. Eu acho que ele quer dar o exemplo. Ele é a esperança do Brasil, né?”, disse o executivo delator. Quatro anos antes, a Camargo Correa conseguiu anular no Superior Tribunal de Justiça (STJ) a operação Castelo de Areia, que investigou um esquema de fraudes, crimes financeiros e desvio de verbas públicas da empreiteira. Hoje a empresa já fechou três termos de um acordo de leniência e aceitou pagar 700 milhões de reais por causa do petrolão.

Condenado por corrupção, lavagem de dinheiro e organização criminosa, Dalton Avancini passa o dia recolhido em casa e com monitoramento da Justiça. Sem poder falar com os outros funcionários ligados à construtora e que também foram réus na Lava Jato, Avancini não arrisca se o executivo João Auler, único da cúpula da Camargo Correa que não fez delação premiada, deve ou não contar o que sabe às autoridades. Embora tenha recebido pena de quinze anos, Avancini não vai cumprir a sentença atrás das grades por ter colaborado com os investigadores. Auler foi condenado a nove anos de prisão e continua sem acordo de delação. No início do ano, o Ministério Público encerrou as negociações para a delação de João Auler por falta de acordo.

Pouco antes da uma hora da tarde, o ex-presidente da construtora Camargo Corrêa chegou ao restaurante popular da Justiça Federal do Paraná, próximo ao centro de Curitiba. Sentou-se em uma mesa do canto direito e pediu um chá gelado. Ele depõe ainda nesta tarde. (Veja)

Ministro da Fazenda, Joaquim Levy

“Num momento em que o Brasil enfrenta uma mudança significativa no ambiente econômico, é preciso que o governo tenha uma visão de mercado, empreenda reformas e construa essa ponte para trazer estabilidade”, diz Levy(Paulo Whitaker/Reuters)

Com atraso de pelo menos três anos, o governo falou, nesta segunda-feira, com realismo dos números do Orçamento e admitiu que uma “questão fiscal”, não uma crise externa, atingiu o país. A mudança no tom e no discurso ocorrem num momento em que não há outras alternativas no cardápio para reavivar a economia, e empreender cortes mais profundos nos gastos se mostra uma tarefa praticamente impossível, diante de uma base aliada completamente desarticulada. “Não é uma questão externa, e sim uma questão fiscal que atinge o Brasil hoje”, disse o ministro do Planejamento, Nelson Barbosa.

Ao anunciar uma previsão de déficit de 30,5 bilhões de reais para o ano que vem, o governo também reconheceu que 2016 deverá ser um ano difícil. “Uma retomada mais acelerada da economia deve ocorrer em 2017, não mais em 2016″, afirmou Nelson Barbosa, ministro do Planejamento. Para 2016, o governo prevê crescimento de 0,2% (ainda que o mercado vislumbre recessão), e de 1,7% para 2017.

Também demorará dois anos, segundo o governo, para que o país consiga fazer um superávit primário. Depois de um déficit de 0,34% do PIB para o setor público no ano que vem, um resultado positivo só é esperado para 2017, com uma meta de 1,3%. Também neste mesmo ano, a dívida bruta deve alcançar 68,8% do PIB, e só deve começar a se estabilizar em 2018 — cenário já esperado segundo a última versão do relatório de programação orçamentária.

Calado durante a maior parte da coletiva, o ministro da Fazenda, Joaquim Levy, viajou de São Paulo a Brasília para entregar, junto com Nelson Barbosa, o texto da proposta orçamentária a Renan Calheiros, presidente do Senado. Segundo Levy, é preciso “construir uma ponte” que permita a “travessia” do atual modelo econômico para um mais eficiente e que permita maiores conquistas para a sociedade. “Num momento em que o Brasil enfrenta uma mudança significativa no ambiente econômico, é preciso que o governo tenha uma visão de mercado, empreenda reformas e construa essa ponte para trazer estabilidade”. (Veja)

The Telegraph enfatiza ostentação de Lidiane Leite (Foto: Reprodução / The Telegraph)

‘The Telegraph’ enfatiza ostentação de Lidiane Leite 

Procurada pela Polícia Federal (PF) desde o último dia 20, a prefeita afastada de Bom Jardim (MA), Lidiane Leite (sem partido), ganhou destaque na imprensa internacional. O paradeiro da prefeita foragida, investigada após denúncias de desvio de recursos públicos para a educação, ainda é desconhecido.

Neste domingo (30), a página eletrônica da “BBC News” de Londres destacou a procura pela prefeita. “Prefeita brasileira que comanda cidade via WhatsApp é procurada por corrupção”, diz a reportagem.

“Uma prefeita no Brasil está foragida após ter sido acusada por desviar fundos do sistema escolar e comandar a cidade remotamente, por meio do WhatsApp. Lidiane Leite, 25, vivia uma vida de luxo na capital do Estado do Maranhão, disseram os promotores. Eles dizem que seu único contato com sua cidade, Bom Jardim, foi através de mensagens diárias WhatsApp para o seu gabinete”, informa trecho inicial do texto.

A “BBC” destaca ainda a eleição precoce, “em seus 20 e poucos anos”, a inexperiência de Lidiane e o caos na cidade. “O sistema de ensino da cidade já era precário e, agora, entrou em colapso. Os professores não estão sendo pagos”, diz a reportagem, que finaliza informando que o “Maranhão, no Nordeste do Brasil, é um dos Estados mais pobres do país”.

A procura pela prefeita Lidiane Leite também foi destaque em outros meios na Inglaterra e Estados Unidos. A edição eletrônica do “Telegraph” publica nesta segunda-feira (31): “Polícia brasileira à procura de prefeita de 25 anos acusada de corrupção e que comandava cidade pelo WhatsApp”.

Leia na íntegra

O deputado Marco Feliciano (PSC-SP), em audiência na Câmara (Foto: Gabriela Korossy/Câmara )

O deputado Marco Feliciano (PSC-SP), em foto  de arquivo (Foto: Gabriela Korossy/Câmara )

O deputado federal e pastor da Assembleia de Deus Marco Feliciano (PSC) foi convidado para ser candidato do partido à Prefeitura Municipal de São Paulo nas eleições de 2016. A assessoria de Feliciano confirmou que ele aceitou o convite da legenda. Ele postou uma mensagem em seu perfil no Facebook em que diz que pretende organizar uma equipe técnica para mapear os problemas de São Paulo e iniciar a estruturação da pré-campanha.

O convite foi decidido após reunião com a Executiva Nacional e Municipal do partido nesta segunda-feira (31).

Feliciano está em seu segundo mandato como deputado federal e ficou conhecido por seu posicionamento contra a união homoafetiva quando ocupava a presidência da Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara dos Deputados.

Nascido em Orlândia (SP) em 1972, Feliciano é técnico em contabilidade formado pela Escola Técnica Professor Alcídio Souza Prado.

Outros nomes
Em 28 de julho, o apresentador José Luiz Datena, da TV Bandeirantes, anunciou sua pré-candidatura à Prefeitura de São Paulo pelo Partido Progressista (PP).

Em 28 de agosto, o empresário João Doria Júnior apresentou sua pré-candidatura pelo PSDB. Ele é o primeiro nome do PSDB a apresentar uma inscrição oficial à direção do partido e deverá concorrer com os deputados federais Bruno Covas e Ricardo Trípoli e com o vereador Andrea Matarazzo, que já manifestaram interesse em participar da disputa. (G1)

(Foto reprodução/Google)

O dólar fechou em alta nesta segunda-feira (31), chegando a R$ 3,68 e renovando as máximas desde o fim de 2002, pressionado por preocupações com a situação fiscal do Brasil e temores de que o país possa perder seu selo de bom pagador com projeção de déficit primário no Orçamento de 2016, mesmo após o Banco Central reforçar sua intervenção no câmbio.

À tarde, a moeda teve a alta reduzida, em meio à briga pela formação da Ptax de agosto (taxa calculada pelo Banco Central que serve de referência para diversos contratos cambiais).

O dólar avançou 1,17%, a R$ 3,6271, após ter chegado a R$ 3,6845Veja a cotação.

O valor de fechamento desta segunda é o maior desde fevereiro de 2003, segundo a Reuters.

Em agosto, a moeda subiu 5,91%. No ano, o dólar acumula alta de 36,42%.

Os movimentos locais também vinham em linha com os mercados externos, que sofriam o efeito de novo tombo da bolsa chinesa, acentuados também pela briga pela formação da Ptax de agosto. A taxa, calculada pelo BC, serve de referência para diversos contratos cambiais e operadores costumam disputar para deslocá-la a patamares mais favoráveis a suas operações.

“Não há nada de animador, nada de boas notícias”, disse à Reuters o superintendente de câmbio da corretora Tov, Reginaldo Siaca. “Desde que me entendo por gente, este está sendo um dos piores momentos para o mercado financeiro”.

Os ministros do Planejamento, Nelson Barbosa, e da Fazenda, Joaquim Levy,entregaram nesta segunda-feira (31) ao presidente do Congresso Nacional, senador Renan Calheiros (PMDB-AL), o projeto do Orçamento de 2016. De acordo com Barbosa, a proposta foi entregue com previsão de déficit (gastos maiores que as receitas) de R$ 30,5 bilhões, que representa 0,5% do Produto Interno Bruto (PIB).

Investidores entenderam que essa decisão deixaria o Brasil mais próximo de perder seu grau de investimento, o que provocaria intensa fuga de capitais dos mercados locais. (G1)

IMPOSTO SOBRE BEBIDAS E CELULARES PODEM SUBIR

(Foto reprodução/Google)

O governo continuará adotando medidas para melhorar os resultados das contas públicas em 2016 por meio do aumento de tributos e venda de participações acionárias, além de novas concessões, informou o ministro do Planejamento, Nelson Barbosa, ao comentar o projeto do Orçamento de 2016.

O documento, que prevê déficit inédito (gastos maiores que receitas) de R$ 30,5 bilhões, o que representa 0,5% do Produto Interno Bruto (PIB), foi entregue ao Congresso Nacional nesta segunda-feira (31).

Segundo o ministro, o governo irá rever apolítica de benefício fiscal do Programa de Inclusão Digital, que consistia na redução a zero das alíquotas do PIS/Cofins na venda a varejo de computadores e notebooks – e que também abrange tablets, modems, smartphones e roteadores digitais. Em 2015, o impacto do programa é de cerca de R$ 8 bilhões.

Além disso, o ministro do Planejamento informou que haverá alta de impostos de bebidas quentes, como vinhos e destilados. Também devem ser feitas alterações no Imposto de Renda sobre direito de imagem e no Imposto Sobre Operações Financeiras (IOF) que incide nas operações do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). Com a elevação dos tributos, o governo espera arrecadar mais R$ 11,2 bilhões em 2016.

As mudanças serão feitas por meio de atos administrativos e também por envio de medida provisória (MP) ao Congresso.

No caso da tributação sobre computadores e notebooks, entre outros produtos, o ministro afirmou que será enviada uma Medida Provisória ao Congresso para rever a atual política. Ele não informou, porém, se os benefícios acabarão por completo ou se serão reduzidos.

Leia na íntegra/Assista vídeos

(Foto reprodução/Google)

Pela primeira vez, o governo entregou ao Congresso Nacional um projeto de Orçamento prevendo gastos maiores que as receitas (déficit). A estimativa para 2016 é de déficit de R$ 30,5 bilhões, o que representa 0,5% do Produto Interno Bruto (PIB), de acordo com o ministro Nelson Barbosa, do Planejamento.

O documento traz ainda a previsão de crescimento econômico de 0,2% e de inflação de 5,4% no ano que vem. O governo propõe elevar o salário mínimo para R$ 865,50 em 2016. Hoje, o valor é de R$ 788.

Em entrevista no Palácio do Planalto nesta segunda-feira (31), Nelson Barbosa afirmou que o governo continuará adotando medidas para melhorar os resultados das contas públicas em 2016 por meio do aumento de tributos e venda de participações acionárias, além de novas concessões.

Devem ser revistos os impostos sobre smartphones, vinhos e destilados, entre outros produtos, além do Imposto Sobre Operações Financeiras (IOF) sobre as operações do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), para aumentar a arrecadação em R$ 11,2 bilhões. Essas mudanças serão feitas por meio de atos administrativos e por envio de Medida Provisória (MP) ao Congresso.

Com a ampliação do processo de concessões e venda de imóveis, além do aperfeiçoamento e aumento da cobrança da dívida ativa da União, o governo espera receber R$ 37,3 bilhões.

Leia na íntegra/Assista vídeos

(Foto reprodução/Google)

O déficit do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), sistema público que atende aos trabalhadores do setor privado, deverá avançar 40,5% em 2016 e atingir a marca de R$ 124,9 bilhões, segundo estimativas divulgadas pelo Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão nesta segunda-feira (31). Será a primeira vez que o déficit do INSS superará a barreira dos R$ 100 bilhões.

Neste ano, a estimativa é de que o resultado negativo some R$ 88,9 bilhões. O aumento, de um ano para o outro, será, se confirmado, de R$ 36 bilhões. As previsões do governo constam na proposta de orçamento federal do ano que vem, documento que foi enviado hoje ao Congresso Nacional.

Segundo o Ministério do Planejamento, serão necessárias medidas legais e infra-legais para redução do resultado negativo do INSS. Essas medidas, informou o Ministério do Planejamento, serão discutidas no Fórum da Previdência Social, que se inicia nesta semana.

Em junho, após o Congresso derrubar o fator previdenciário – fórmula matemática que tem o objetivo de reduzir os benefícios de quem se aposenta antes da idade mínima de 60 anos para mulheres e 65 anos para homens, e incentivar o contribuinte a trabalhar por mais tempo – e instituir a fórmula 85/95 (soma da idade de contribuição mais a idade, para homens e mulheres), o governo enviou uma Medida Provisória ao Congresso Nacional.

Na MP, o governo propôs que a regra para aposentadorias avance, gradativamente, até se atingir uma formula 90/100 em 2022. Naquele momento, o governo informou que essa solução seria momentânea e que novos ajustes, a serem discutidos no Fórum da Previdência Social, seriam necessários para dar sustentabilidade ao INSS no futuro. (G1)

 

Acusado de ter tomado uma viatura em Salvador durante a greve da Polícia Militar em 2012, o soldado Josafá Ramos foi demitido da corporação na última sexta-feira (28). Em entrevista ao Acorda Cidade, na manhã desta segunda-feira (31), o agora ex-soldado se defendeu e disse que na hora do crime estava em Feira de Santana, em frente ao 1º Batalhão.

“A acusação é de que eu estaria em Salvador no dia 2 de fevereiro de 2012 e nessa data se iniciava a greve da PM em Feira de Santana. Enquanto nós estávamos na porta do 1º BPM fomos acusados de estar em Salvador roubando viatura. E o acusador, major Jamerson Queiroz, fala dentro do processo que a pessoa que roubou a viatura era grisalho e o nome era Jadson. Isso demonstra que até o acusador faz algo de maneira fajuta e inconsistente”, afirmou Josafá Ramos.

O ex-soldado informou também que dispõe de provas materiais e testemunhas de que estava distante do local do crime. “A gente só tem a lastimar. A tropa toda na Bahia inteira está injuriada (sic) com isso, porque os policiais sentem na pele como se fosse consigo mesmos”, completou. Josafá Ramos vai entrar com recurso no Tribunal de Justiça para tentar reverter a decisão. (Tribuna da Bahia)

(Foto reprodução/Google)

Meu nome é Elson Campos, moro na rua Girassol 122, no bairro Quidé em Juazeiro-Bahia. No último dia 13 de agosto de 2015, o poste em frente a minha residência teve a luz queimada. No dia seguinte, dia em que a presidente Dilma esteve em Juazeiro, ligamos para a SESP, a atendente alegou que não havia funcionário disponível, pois todos teriam ido ao evento da entrega das casas e que não voltariam naquele dia. Desde então já ligamos três vezes e nenhuma providência foi tomada, pago taxa de iluminação pública, com certeza a Coelba não vai me dar nenhum desconto pelos dias de escuridão, porém, quero saber da SESP de Juazeiro o que é necessário para que eles resolvam este problema já que ligando para a mesma não tem resolvido.

Com a palavra a Prefeitura Municipal de Juazeiro.

CARRO DE CRISTIANO ARAÚJO ESTAVA A 179 KM/H

Se o excesso de velocidade for confirmado, o condutor pode ser indiciado por homicídio culposo - Foto: Marcos Antonio Costa/Futura Press/Futura Press/Estadão Conteúdo

Se o excesso de velocidade for confirmado, o condutor pode ser indiciado por homicídio culposo

A fabricante do carro de Cristiano Araújo apontou, por meio de um relatório técnico, que o veículo estava a 179 km/h no momento do acidente que matou o sertanejo e sua namorada, Allana Moraes, no dia 24 de junho, em Goiás. Segundo o site G1, o documento da Land Rover foi entregue à polícia e ajudará nas investigações.

De acordo com o delegado Fabiano Henrique Jacomelis, responsável pelo caso, ainda não foi concluído o laudo da perícia sobre as causas do acidente. A velocidade ficou registrada na “caixa preta” do carro, cinco segundos antes do acionamento dos airbags. Os dados foram encaminhados para análise na Inglaterra.

Se o excesso de velocidade for confirmado, o condutor do carro, Ronaldo Miranda, pode ser indiciado por homicídio culposo, quando não há intenção de matar. Se condenado, a pena pode variar de 2 a 4 anos.

O acidente aconteceu quando o cantor voltava de um show em Itumbiara (a 200 km de Goiânia). O veículo, uma Range Rover, saiu da pista e capotou. Além de Cristiano e o motorista, estavam no carro Allana Moraes, namorada do músico, e Victor Leonardo, um dos empresários dele. A jovem de 19 anos morreu no local e o empresário apenas se feriu. (A Tarde)

(Foto reprodução/Google)

Nove pessoas foram assassinadas nos últimos quatro dias, em Jequié, no Centro-sul da Bahia. De acordo com a Polícia, os crimes estão relacionados as disputas pelo tráfico de drogas na cidade. A suspeita é de que a prisão do traficante Sandro Queiróz Santos, o Real, em julho deste ano, tenha impulsionado os conflitos.

“Sandro Real foi preso em São Paulo, há cerca de um mês. Ele liderava o tráfico em Jequié e foi mandado para o presídio de segurança máxima de Serrinha, de onde não tem como comandar o tráfico. Por isso, já esperávamos que houvesse uma disputa pelas bocas”, contou o coordenador regional de Polícia do Interior (Coorpin), Fabiano Aurich.

Sete dos nove mortos estavam envolvidos com o tráfico de drogas, segundo a polícia. As outras duas vítimas estão sendo investigadas. Por conta da insegurança o policiamento foi reforçado na cidade por equipes das Polícias Civil e Militar, com apoio da Polícia Federal. Não existe prazo para elas deixarem a cidade.

Mortos por engano
O primeiro crime aconteceu na noite de quinta-feira (27), quando o idoso José Carlos Silva, 60 anos, foi assassinado. Segundo a polícia, ele não tem passagem policial, mas um dos filhos da vítima tem envolvimentos com o tráfico de drogas. A polícia investiga se o idoso foi morto por atuação no tráfico ou se em retaliação pela participação do filho.

Policiais da 3ª Companhia do 6º Batalhão de Polícia Militar participaram da VII Conferência Municipal de Assistência Social, em Andorinha, nesta sexta-feira (28). O Sub Tenente PM Daniel Ferreira de Sousa, comandante do 2º Pelotão, representou o comando do 6º BPM na composição da mesa, durante solenidade de abertura.

Com o tema “Consolidar o Sistema Único de Assistência Social Rumo a 2026″, o encontro da Secretaria de Assistência Social do Município de Andorinha reuniu comunidade, entidades de assistência social e representantes governamentais, com o objetivo de avaliar e propor melhorias para os serviços das políticas de assistência social.

 

DIRCEU SE CALA DIANTE DA CPI DA PETROBRAS

José Dirceu é visto dentro do carro da polícia federal enquanto é transferido para Curitiba - 04/08/2015

José Dirceu é visto dentro do carro da polícia federal enquanto é transferido para Curitiba – 04/08/2015(Marcello Casal/Agencia Brasil/Handout/Reuters)

O ex-ministro da Casa Civil José Dirceu ficou em silêncio nesta segunda-feira diante dos integrantes da CPI da Petrobras. Deputados da comissão viajaram até Curitiba para tomar depoimento de autoridades presas na Operação Lava Jato, mas Dirceu informou que não responderia a nenhum questionamento, nem mesmo em sessão fechada. A sessão de questionamentos durou apenas 16 minutos e o petista foi dispensado na sequência.

Segundo o Ministério Público, Dirceu foi uma das pessoas que instituiu o esquema criminoso do petrolão, responsável por movimentar mais de 6 bilhões de reais a partir de fraudes em contratos da Petrobras e do pagamento de propina a agentes públicos. E mais: o juiz federal Sergio Moro, que conduz os processos da Operação Lava Jato em Curitiba, afirmou, no despacho que autorizou a prisão preventiva do ex-ministro no início de agosto, que há indícios de que o petista praticava crimes de forma “profissional” e “habitual”. Uma das evidências, apontou o magistrado, é que Dirceu continuou a receber propina mesmo depois de já condenado pelo Supremo Tribunal Federal por corrupção ativa no julgamento do mensalão.

Leia na íntegra

O vice-presidente Michel Temer durante o EXAME Fórum 2015

O vice-presidente Michel Temer durante o EXAME Fórum 2015(Heitor Feitosa/VEJA)

O governo federal não abandonou inteiramente a ideia de ressuscitar a extinta CPMF. E deve ficar com o vice-presidente Michel Temer (PMDB) a tentativa de fazer a costura política que o Planalto não conseguiu no ato desastrado da semana passada. Diante da repercussão negativa da notícia de que o imposto do cheque seria retomado, a presidente Dilma Rousseff recuou e o governo decidiu enviar ao Congresso, nesta segunda-feira, uma proposta de Orçamento para 2016 com previsão de déficit primário. Mas o Planalto pretende negociar com os parlamentares. A ideia é que ou os parlamentares autorizam o aumento de receitas, com desonerações e até, mais adiante, com a volta da CPMF, ou o Executivo será obrigado a propor medidas mais duras, como a reforma da Previdência. (Veja/Da redação)

José Dirceu é preso pela PF na Operação Lava Jato (Foto: Dida Sampaio/Estadão Conteúdo)

José Dirceu foi preso pela PF na 17ª fase da Operação Lava Jato (Foto: Dida Sampaio/Estadão Conteúdo)

Integrantes da CPI da Petrobras começam a ouvir presos da Operação Lava Jato a partir desta segunda-feira (31), em Curitiba. A comitiva de deputados deve ficar na cidade até quinta-feira (3) para, além de ouvir os presos, fazer acareações entre eles. As sessões serão realizadas às 9h, no prédio da Justiça Federal.

Esta é segunda vez que os parlamentares vão à capital do Paraná para ouvir investigados que estão detidos na cidade. A primeira vez foi em maio.

Entre os presos que serão ouvidos, já nesta segunda, está o ex-ministro José Dirceu, que foi preso na 17ª fase da operação, no dia 3 de agosto. Segundo o Ministério Público Federal (MPF) e a Polícia Federal , Dirceu participou da instituição do esquema de corrupção da Petrobras quando ainda estava na chefia da Casa Civil, no governo de Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

O ex-ministro “repetiu o esquema do mensalão”, conforme o procurador Carlos Fernando dos Santos Lima. Além disso, Dirceu foi “instituidor e beneficiário do esquema da Petrobras”, mesmo durante e após o julgamento do mensalão, ainda segundo o procurador.

Também serão ouvidos nesta segunda-feira: Jorge Luiz Zelada, ex-diretor da Área Internacional da Petrobras; Otávio Marques de Azevedo e Elton Negrão de Azevedo, executivos da Andrade Gutierrez; e João Antônio Bernardi, funcionário da empresa Saipem. (G1)

O ministro e professor Gilmar Mendes: repudiando a aula de mau direito dada por Rodrigo Janot

O ministro e professor Gilmar Mendes: repudiando a aula de mau direito dada por Rodrigo Janot, procurador geral da República

O ministro Gilmar Mendes, vice-presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e membro do Supremo Tribunal Federal (STF), não deixou a arrogância grosseira, ou a grosseria arrogante, de Rodrigo Janot, procurador-geral da República, passar em branco e respondeu com todas as letras em entrevista a este blog, neste domingo: “Janot não deveria se comportar como um dos advogados do PT; afinal, o partido já contratou profissionais competentes para fazer a sua defesa”.

Nas moscas! Para quem não acompanhou, explico.

A empresa VTPB, que se diz especializada na área gráfica, recebeu R$ 26,8 milhões do PT a título de serviços prestados durante o processo eleitoral — desse total, R$ 23 milhões foram pagos pela campanha de Dilma Rousseff. Muito bem! Mendes, relator da prestação de contas do PT, dadas as informações que estão vindo à luz em razão da Operação Lava-Jato e de apurações da imprensa, encaminhou à Procuradoria-Geral da República e à Polícia Federal um pedido de investigação da empresa.

E ele explica os motivos: “Ora, sabemos agora tratar-se de uma empresa que recebe esse enorme volume de dinheiro, embora não tenha um único funcionário contratado, não disponha de parque gráfico e não tenha nem mesmo, num dia de visita fortuita, uma sede aberta para chamar de sua. Convenham: é, no mínimo, estranho”.

Leia na íntegra

Marianna Teles Oliveira foi morta em tentativa de assalto

O CORREIO teve acesso às imagens do circuito de segurança de um dos edifícios da Rua Coronel Durval Mattos, no Costa Azul, onde a estudante de Medicina Marianna Teles Oliveira, 22 anos, foi morta, na noite deste sábado (29),durante uma tentativa de assalto.

As imagens mostram a sequência em que o suspeito fica à espreita na rua, vai em direção a um carro e depois volta correndo.

A fuga foi registrada em dois ângulos diferentes. Na primeira gravação é possível ver que o suspeito aguarda que um carro passe por ele, antes de seguir em direção ao Edifício Costa Brava.

Mais de 20 segundos se passam desde que ele sai da calçada, vai para o meio da rua, se aproxima do Palio branco, vai em direção à calçada e depois retorna correndo na direção contrária.

É possível ver dois clarões, antes que o suspeito apareça novamente correndo. Nesse intervalo de tempo, uma pessoa aparece abrindo o portão de um prédio, mas desiste da ideia ao ver o suspeito correndo e retorna para o interior do edifício.

Leia na íntegra/Assista vídeos

Resultado de imagem para 6º BPM EM SENHOR DO BONFIM

6º BPM REALIZA CONDUÇÃO DE AGRESSORES A DELEGACIA

Neste sábado (29), às 13 horas, no Bairro Umburanas, em Senhor do Bonfim, policiais da 1ª Companhia do 6º Batalhão de Polícia Militar conduziram à delegacia de Polícia Civil Manoel Nonato da Silva, de 62 anos, por agredir, com um facão, o filho de 42. Foi também conduzido Jairo Costa de Souza, 47 anos, por agredir o acusado, com um tapa no rosto, quando o mesmo já se encontrava dentro da viatura. 

6º BPM CONDUZ MOTOCICLISTA À DELEGACIA POR DIREÇÃO PERIGOSA

Policiais da 1ª Companhia do 6º Batalhão de Polícia Militar conduziram um mototaxista à delegacia de Polícia Civil, por prática de direção perigosa, neste sábado (29), às 17 horas, na BR 407, em frente à delegacia, em Senhor do Bonfim.

Paulo Roberto de Souza, de 24 anos, ultrapassou a viatura da PM, buzinou e seguiu praticando direção perigosa, sendo logo alcançado pela guarnição.

6º BPM REALIZA PRISÃO POR TENTATIVA DE HOMICÍDIO

Na Cidade de Queimadas, às 23 horas deste sábado (29), policiais da 4ª Companhia do 6º Batalhão de Polícia Militar realizaram prisão por tentativa de homicídio.

Jaquison Luiz Silva Oliveira, 36 anos, desferiu golpes, com uma garrafa, na cabeça e no abdômen de uma mulher de 33 anos, em um bar de propriedade do acusado.

A vítima foi socorrida ao hospital. O autor foi apresentado na delegacia de Polícia Civil, onde foi autuado em flagrante.

POLICIAIS DO 6º BPM PRENDEM TRAFICANTE

Policiais motociclistas da ROCAM do 6º Batalhão de Polícia Militar realizaram prisão por tráfico de entorpecentes, na Rua Buriá de Baixo, Bairro Maristas, em Senhor do Bonfim, neste sábado (29), às 23h40.

Em ronda, a guarnição avistou duas pessoas efetuando compra e venda de drogas. O indivíduo que estava comprando conseguiu evadir-se. Com Flávio Souza de Miranda, 18 anos, a polícia encontrou cinco pedras de crack, um helicóptero de brinquedo com controle remoto, um celular, uma tesoura, uma lâmina gilete, uma caixa de copos, dois relógios e a quantia de R$275,00.

O acusado foi apresentado na delegacia de Polícia Civil, juntamente com o material apreendido, onde foi autuado em flagrante.

"Antigamente não fazia nada, nem sobrancelha. Mas hoje temos que hidratar o cabelo, cuidar da pele...e depilar", diz a atriz (Foto: Pino Gomes )

“Antigamente não fazia nada, nem sobrancelha. Mas hoje temos que hidratar o cabelo, cuidar da pele…e depilar”, diz a atriz

Lá se vão 30 anos desde que Cláudia Ohana, 52 anos, posou nua pela primeira vez para uma revista masculina. Na época o fato de a atriz, digamos, ter deixado os pelos das partes íntimas ao natural, deu o que falar. E ainda dá. “Às vezes enche o saco ainda falar disso”, diz ela, que completa 35 anos de profissão e para celebrar a data faz o primeiro monólogo da sua carreira, A Voz Humana, em turnê pelo país. Além da peça ela está no elenco de Zoom, filme que estreia no fim do ano, no qual interpreta Alice, uma hippie bissexual com direito a uma tórrida cena de sexo com Mariana Ximenes. Para o papel, detalhe, o diretor Pedro Morelli pediu que Cláudia deixasse os pelos axilas crescerem.

Incomoda ser lembrada até hoje pela falta de depilação?

Às vezes dá no saco, porque no meio de um trabalho nada a ver com isso, a pessoa me pergunta sobre pentelhos. Ainda? O engraçado é que faz mais sucesso hoje do que fez na época porque era normal as mulheres não se depilarem. Mas fiquei para a história. Hoje eu depilo, estou em outra época.

Leia na íntegra

O Ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo (PT), foi hostilizado enquanto caminhava na avenida Paulista na manhã deste domingo (30)

 (Foto reprodução/Google)

Assista vídeo

 

UM BRASIL QUE NUNCA EXISTIU ATÉ AGORA

(Foto reprodução/Google)

Publicado na versão impressa de VEJA

Por J. R. GUZZO

O Brasil pode estar ganhando muito mais do que perdeu com a descida da Petrobras aos nove círculos do inferno para onde foi arrastada durante os três últimos governos da República. Nunca se roubou tanto da brava gente brasileira, embora se tenha roubado sempre ─ e provavelmente se continuará roubando enquanto o país, na prática, for propriedade do “Estado” e obedecer à sua regra número 1, pela qual é obrigatório, para quem quer produzir alguma coisa, pedir licença a quem não produz nada.

Mas há sinais concretos de que o espetacular surto de corrupção dos últimos anos, quando nossos atuais governantes decidiram transformar o uso privado do patrimônio público em programa, método e sistema de administração, está oferecendo uma oportunidade inédita ao Brasil do futuro ─ a de deixá-lo mais resistente do que jamais foi às epidemias de criminalidade oficial causadas pelos que mandam no governo, dentro e em volta dele, e que agora chegaram ao seu grau de intensidade máxima.

» Clique para continuar lendo

DILMA 2, A RECAÍDA

(Foto reprodução/Google)

Publicado no Globo

Por CARLOS ALBERTO SARDENBERG

O governo Dilma 2 está cada vez mais parecido com o Dilma 1. Começou propondo uma guinada de política econômica, até deu início prático ao novo modelo comandado pelo ministro Joaquim Levy, mas tem tido sucessivas recaídas no modo Guido Mantega.

As últimas semanas mostraram três tipos de recaída: o recurso ao marketing; o improviso na gestão; e colocar a culpa de tudo em alguém lá fora, no momento, os chineses.

Uma quarta característica do Dilma 1, o otimismo, não pode ser praticada neste momento por razões óbvias. A situação econômica é muito pior e vem piorando. Não há cegueira que esconda isso. Mesmo assim, a presidente saiu para um tipo de otimismo invertido.

» Clique para continuar lendo

 

‘A HORA DA XEPA’

 

Resultado de imagem para Carlos Brickmann

Por Carlos Brickmann

Não importa o que os políticos, empresários e gente importante em geral nos digam: o que importa é a atitude que tomam. Podem dizer que a administração é excelenta, que a presidente é competenta, valenta, resistenta. Mas como agem?

1 – Por enquanto, 20% dos prefeitos do PT no Estado de São Paulo mudaram de partido. É a lei da vida: para sobreviver, acharam melhor sair do partido dela.

» Clique para continuar lendo

 

 

BANQUEIROS, EMPRESÁRIOS E COLUNISTAS

Resultado de imagem para FERNANDO GABEIRA

Por FERNANDO GABEIRA

Publicado no Estadão

Banqueiros, empresários e colunistas têm se pronunciado contra o impeachment de Dilma. Faltam elementos, dizem alguns. Ainda faltam, dizem outros mais cautelosos. O próprio New York Times chegou a essa conclusão, com o mesmo argumento: não há motivo. Creio que essa convicção possa evoluir quando analisarmos todas as pontas da investigação.

O quadro geral desenha um governo que utilizou um esquema criminoso para se manter no poder. Mas quadros gerais não bastam. O ministro Gilmar Mendes foi o primeiro a juntar as pontas que revelam o caminho do impeachment: contas de campanha. A vulnerabilidade de Dilma fica clara quando o turbilhão de informações fragmentadas começa a tomar corpo.

» Clique para continuar lendo

 

 

 

IMAGEM DO DIA

(Foto reprodução/Facebook)

Pilhas de processos. Todos verdadeiros, que correm na Justiça. Era o ponto de partida de um golpe sofisticado e muito cruel. Os bandidos se passavam por advogados e prometiam acelerar o pagamento de indenizações, mas não tinha indenização nenhuma. Era uma armadilha. Teve gente que caiu nessa conversa e perdeu quase R$ 1 milhão.

No Rio de Janeiro e em sete cidades de São Paulo, policiais federais e da Polícia Civil de Minas fecharam o cerco.  Os golpistas que levavam as vítimas na conversa, dessa vez, se calaram.

Uma aposentada caiu na lábia. Acreditou que receberia indenizações referentes a antigos planos de previdência que ela pagou há mais de 30 anos.

Fantástico: Mas a senhora entrou na Justiça para reaver esse dinheiro lá do fundo de pensão antigo.
Aposentada: Não entrei na Justiça…

Só que as cartas, assinadas por supostos advogados, com número de registro e tudo, diziam que a ação era coletiva e beneficiava todo mundo na situação dela.

“Duas cartas. A primeira eu joguei fora. A segunda, eu falei ‘se tão insistindo é porque deve ter alguma coisa’”, conta a aposentada.

Para receber R$ 61 mil, ela teria, primeiro, que pagar as custas do processo: 10% do valor. Ela pagou e não recebeu. Os golpistas então mandaram outra carta, dizendo que a indenização era na verdade de R$ 248 mil, que obviamente nunca apareceram.

Leia na íntegra/Assista vídeo

QUESTÃO DE TEMPO

nabor

Nabor Bulhões, o advogado de Marcelo Odebrecht

A propósito, a defesa de Marcelo Odebrecht não tem dúvidas de que no STJ consegue um habeas corpus libertar o empresário. (Veja)

Por Lauro Jardim

 

Ministro da Fazenda, Joaquim Levy, durante sessão de comissão na Câmara dos Deputados, em Brasília, em julho. 15/07/2015

Ministro da Fazenda, Joaquim Levy, vê com grande preocupação a sinalização de novo déficit (Ueslei Marcelino/Reuters)

O governo deve deixar explícita a previsão de um déficit primário nas contas do setor público em 2016. A proposta de Orçamento do ano que vem será enviada ao Congresso nesta segunda, e a presidente Dilma Rousseff convocou nova reunião com ministros, neste domingo, para bater o martelo sobre o assunto, no Palácio da Alvorada. O ministro da Fazenda, Joaquim Levy, vê com grande preocupação a sinalização de novo déficit, por considerar que embute um sinal negativo para o mercado e pode levar o Brasil a perder o grau de investimento, com consequências ainda mais severas para a economia, que já está em recessão. Levy ainda luta por um corte maior de despesas.

Mesmo assim, uma preocupação da Fazenda é fazer com que as projeções incluídas do Orçamento não sejam mascaradas. Em conversas com um integrante da equipe econômica, o vice-presidente Michel Temer defendeu “realismo” na elaboração do Orçamento de 2016.

Sem a recriação da Contribuição Provisória sobre Movimentações Financeiras (CPMF), porém, o governo não tem muitas alternativas para cobrir o rombo de 80 bilhões de reais. A ideia inicial do Palácio do Planalto era ressuscitar o “imposto do cheque” com o nome de Contribuição Interfederativa da Saúde, mas, diante da crise política e econômica, o plano foi bombardeado. Com isso, ao que tudo indica, a meta de superávit primário de 2016, de 0,7% do PIB, será reduzida novamente e é possível que haja corte de programas sociais.

No Ministério da Fazenda há preocupação com o risco de uma nova sinalização de déficit primário nas contas do governo em 2016. Em 2014, as contas fecharam no vermelho e não está descartado um novo déficit esse ano diante do rombo já anunciado nos sete primeiros meses do ano. Quando o governo reduziu a meta de superávit primário de 2015 de 1,1% do Produto Interno Bruto para 0,15% do PIB, foi introduzida uma regra de abatimento que permite que as contas fechem o ano deficitárias.

A avaliação é de que a proposta de Orçamento terá que ser reformulada pelo Congresso Nacional em conjunto com a “Agenda Brasil”, lançada pelo presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), que contou com apoio de Levy. A Fazenda avalia que o papel do Congresso será determinante para a construção do equilíbrio fiscal. (Veja/Com Estadão Conteúdo)

LEIA MAIS:

Bancos brasileiros se esquivam de processo contra a Petrobras nos EUA

Desemprego nas capitais se deteriora de forma mais rápida

 

Luiz Inácio Lula da Silva (Foto: Andre Penner/AP Photo)

Ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (Foto: Andre Penner/AP Photo)

Na segunda-feira (31), o deputado federal Alexandre Baldy (PSDB-GO) vai protocolar requerimento na CPI do BNDES para convocar o ex-presidente Lula. O objetivo é que Lula dê explicações sobre suposto tráfico de influência para favorecer a empreiteira Odebrecht a conseguir empréstimos do banco estatal para realizar obras no exterior. Reportagem exclusiva de ÉPOCA, publicada neste fim de semana, mostra que Lula se esforçou para que o governo de Cuba apresentasse garantias ao BNDES de pagamento de empréstimo direcionado à construção do Porto de Mariel, erguido pela construtora Odebrecht.

Lula, mostra a reportagem, até usou o nome da presidente Dilma Rousseff em suas conversas com o presidente de Cuba, Raúl Castro. “O BNDES usou centenas de milhões de dólares nas obras do Porto de Mariel, tocadas pela Odebrecht. Esse investimento foi feito com dinheiro público e se há indícios de irregularidades, a CPI deve averiguar”, afirmou Baldy, que é um dos subrelatores da CPI. A Odebrecht conseguiu quase US$ 898 milhões em financiamentos do BNDES para atuar em Cuba.

Baldy afirma que também vai protocolar na CPI requerimento para ouvir Alexandrino Alencar, ex-lobista da Odebrecht e amigo do ex-presidente. Alexandrino costumava acompanhar Lula em viagens internacionais nas quais Lula defendia os interesses da construtora. A Odebrecht bancava as despesas do ex-presidente nessas viagens.

A reportagem de ÉPOCA, segundo o deputado, reforça a necessidade de que o ex-ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior e atual governador de Minas Gerais, Fernando Pimentel, compareça à CPI. Isso porque Pimentel foi presidente do Conselho de Administração do BNDES, tendo interferência nas diretrizes do banco, e esteve em Cuba, em 2013, para garantir ao governo cubano que os repasses do banco seriam realizados.

Na semana passada, o presidente do BNDES, Luciano Coutinho, foi ouvido na CPI e negou qualquer interferência do ex-presidente Lula em financiamentos do banco. De acordo com o deputado, as evidências trazidas pela reportagem de ÉPOCA contradizem as afirmações de Coutinho que, segundo Baldy, deve retornar à CPI para se explicar. (Época)

O REINO DA IMPROVISAÇÃO

(Foto reprodução/Google)

or Cristiana Lôbo

A proposta de recriar a CPMF durou menos de três dias e foi arquivada pela presidente Dilma Rousseff, sem que o governo saiba o que vai colocar no lugar – outra fonte de receita para financiar a saúde ou, na verdade, para equilibrar o orçamento de 2016 que tem um buraco da ordem de R$ 80 bilhões – ou se vai deixar o orçamento com déficit para resolver o problema depois. Mas o desgaste do governo já foi feito. Mais do que isso, vai-se cristalizando no governo a marca da improvisação.

É o que pelo menos um ministro chama de espontaneismo. “Alguém tem uma ideia e sai tratando dela sem um debate interno e sem analisar suas consequências”, disse um ministro. Para ele, a proposta de recriar a CPMF nasceu da conjunção de interesses da Receita Federal e da Saúde, que acabaram vazando a solução encontrada. “E deu no que deu”… Na verdade, o assunto cresceu mais, passou a ser defendido no núcleo do governo, mas a reação negativa fez o governo recuar.

Os exemplos são muitos. No começo da semana, o governo anunciou de supetão uma reforma administrativa para reduzir o número de ministérios e cargos em confiança, sem saber quais ou mesmo quantos podem ser extintos ou reunidos num só. A marca da improvisação está lá e a reação das corporações atingidas também.

Ainda neste mes de agosto houve outro  vai-e-vem do governo que também provocou desgastes. Foi  o pagamento da parcela de 50% do  13o.  salário dos aposentados. O pagamento não é obrigatório e, por isso, o Ministério da Fazenda quis deixar para depois – para pagar todo em dezembro. O Ministério da Previdência reagiu e, depois de idas e vindas, acabou vencendo. Mesmo tendo o Ministério da Fazenda tendo  anunciado o pagamento em duas parcelas (25% em setembro e 25% em outubro e os restantes 50% em novembro), ele foi desautorizado. Dois dias depois, a presidência da República divulgou nota oficial para comunicar o pagamento da parcela integral do 13o. salário para os aposentados.

Neste caso, o desgaste foi da presidente Dilma, mas também chamuscou  o ministro da Fazenda, Joaquim Levy.  Levy anda com problemas demais e não precisava de mais um tema para desgastá-lo. Aliás, além da marca da improvisação, outro problema para o  governo é ter seu ministro da Fazenda sofrendo desgastes novos quase diários. Uma hora é o embate com o colega do Planejamento; na outra, o PT em coro criticando sua política econômica e, por fim, o desempenho do conjunto da economia que o tem obrigado a dizer e repetir que não é o ajuste fiscal o responsável pela recessão. (G1)

Túmulo de idosa foi violado e polícia investiga caso de necrofilia (Foto: Renato Farias / Portal PHB em Nota)

Túmulo de idosa foi violado e polícia investiga caso de necrofilia (Foto: Renato Farias / Portal PHB em Nota)

Um homem foi preso em flagrante na manhã deste domingo (30) por suspeita de violar um túmulo e ter relações sexuais com um cadáver no Cemitério Público de Parnaíba, Litoral do Piauí. A sepultura violada foi de uma idosa de 79 anos enterrada no sábado (29).

De acordo com o major Adriano Lucena, comandante de policiamento, quando os policiais chegaram ao local, encontraram o corpo sem a roupa e a genitália exposta.

“Rebemos a denúncia de que alguém teria violado a cova de uma idosa enterrada no sábado. Ao chegar no local, os policiais encontraram o corpo com sinais de que teria sido abusado sexualmente e acionaram a perícia. Após indícios achados no local, a polícia chegou até o coveiro do cemitério, que foi preso e levado para a Central de Flagrantes de Parnaíba”, relatou.

O major contou que um exame de corpo de delito será feito no suspeito para comprovar o crime de necrofilia [atração mórbida por cadáveres]. O coveiro deve também prestar depoimento ainda neste domingo na Delegacia Regional de Parnaíba. O cemitério foi isolado e os familiares da idosa informados do caso.

O chefe de investigação Robinson Castilho, da Delegacia Regional de Parnaíba, revelou ao G1 que exames feitos no Instituto Médico Legal (IML) constataram a presença de esperma no corpo da idosa, que já foi liberado para novo sepultamento.

“Agora temos a certeza de que retiraram o corpo para fins sexuais e o suspeito sabia do enterro recente da idosa, porque o túmulo dela foi o único violado. Estamos investigando a participação do coveiro no crime, até porque o local não tem vigia e muitos usuários drogas frequentam o cemitério durante a madrugada”, declarou. (G1)

Por Matheus Leitão

O ex-ministro José Dirceu deverá permanecer calado nos dois depoimentos previstos para esta segunda-feira (31) — um na CPI da Petrobras e outro na Polícia Federal — sobre as acusações contra ele na Operação Lava Jato.

Segundo informado ao Blog, a estratégia de defesa foi definida nos últimos dias, após os depoimentos serem marcados para o início desta semana.

Acusado por delatores da operação de receber propina oriunda de corrupção na Petrobras, o ex-ministro foi preso no dia 3 de agosto, na 17ª Fase da Lava Jato, batizada de Pixuleco.

Dirceu foi apontado pelo Ministério Público Federal como o responsável por instituir o esquema na estatal do petróleo, quando era o ministro mais poderoso do governo Lula. (G1/Foto reprodução/Google))

(Foto reprodução/Google)

Em nota conjunta divulgada neste domingo (30), lideranças da oposição na Câmara criticaram a decisão do procurador-geral da República, Rodrigo Janot, de propor o arquivamento de uma investigação da Justiça eleitoral sobre uma das fornecedoras da campanha à reeleição da presidente Dilma. Assinado pelos líderes do PSDB, do DEM, do Solidariedade do PPS, o texto disse que a posição de Janot causou “grande estranheza nas oposições”.

Os oposicionistas atacaram o tom do parecer do procurador-geral, que criticou a “inconveniência” da Justiça e do Ministério Público Eleitoral de se tornarem “protagonistas exagerados do espetáculo da democracia”.

“No processo eleitoral, eleitores, partidos, Justiça Eleitoral e Procuradoria têm papéis distintos e complementares e é fundamental que todos cumpram o que lhes cabe, com equilíbrio e isenção. ‘Inconveniente’ seria se não o fizessem”, rebate a oposição.

Os quatro partidos também questionaram o termo “pacificação social” utilizado por Janot, em seu parecer, ao defender que o Judiciário atue para estabilizar as relações jurídicas. “Acreditamos, da mesma forma, que a ‘pacificação social’, aludida pelo procurador, só virá quando não pairarem dúvidas sobre os métodos utilizados pelos candidatos para vencer eleições, sobretudo quando um dos concorrentes, no caso a presidente Dilma, ter anunciado, um ano antes do início do processo eleitoral, que eles poderiam ‘fazer o diabo quando é hora de eleição’”, prossegue a nota, assinada pelos líderes Rubens Bueno (PPS-PR), Carlos Sampaio (PSDB-SP), Arthur Maia (SD-BA) e Mendonça Filho (DEM-PE).

“Continuaremos aguardando e confiando na imparcialidade da Procuradoria-Geral da República para que ela continue cumprindo, como vem fazendo, o papel de guardiã dos interesses da sociedade”, concluem os deputados.

Confira na íntegra

Centenas de pessoas se reuniram na tarde deste domingo (30) no Cemitério Jardim da Saudade, em Brotas, para se despedir de Marianna Oliveira Teles, 22, morta durante uma tentativa de assalto no bairro do Costa Azul na tarde de ontem. Amigos vestiram jalecos brancos em homenagem à estudante, que cursava medicina na Escola Bahiana de Medicina e Saúde Pública. O corpo dela foi levado para o crematório por volta das 17h.

Tio de Marianna, o advogado Josemar Quadros fez um apelo de paz após o velório. “Como familiar, cidadão, eu quero pedir paz, pedir para que as autoridades tomem providências para que a gente viva num lugar melhor.  Ela era uma menina com toda a vida pela frente, com o coração bom, que teve a vida ceifada pela violência”, disse.

Josemar disse ainda que não considera mais que Salvador seja um bom lugar para se viver. “A nossa cidade, infelizmente, não está adequada para se viver. Vivemos, realmente, uma guerra civil”, afirmou. Ele ainda questionou sobre quando a cidade terá paz. “Foi um exemplo de vida que passou tão rápido, tão breve, e que isso daí sirva para chamar a atenção. Quantas vítimas mais teremos até que se tome alguma atitude? Até que a gente encontre paz nessa sociedade?”, questionou.

Leia na íntegra

O Ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo (PT), foi hostilizado enquanto caminhava na avenida Paulista na manhã deste domingo (30)

O Ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo (PT), foi hostilizado enquanto caminhava na avenida Paulista na manhã deste domingo (30)(Marco Ambrosio/Folhapress)

O ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, foi hostilizado neste domingo na Avenida Paulista, em São Paulo, quando caminhava pela calçada oposta à ocupada por manifestantes em favor do impeachment da presidente Dilma Rousseff, reunidos em torno do boneco do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, o ‘Lula inflado’, em frente aos escritórios do Tribunal de Contas da União. O ministro ouviu gritos de “pega ladrão”, “corrupto”, “fora petista, bolivariano”, mas não pareceu se abalar: seguiu pela calçada do Conjunto Nacional, deixou-se entrevistar pelo líder do Revoltados On Line, Marcelo Reis, e entrou em uma livraria da região – que em seguida fechou as portas. Do lado de fora, ainda se ouviu alguém gritando: “Segurem suas carteiras, tem um ladrão na livraria.” Ao jornal O Estado de S. Paulo, Cardozo afirmou que manifestações são legítimas, mas não “xingamento e intolerância”. Neste ano, os ex-ministros petistas Guido Mantega, da Fazenda, e Alexandre Padilha, da Saúde, também passaram por saias-justas em locais públicos. (Veja/Da redação)

 

Manifestantes pró-Dilma foram para a av. Paulista e gritaram pedindo que o boneco fosse retirado. Alguns chegaram a trocar socos com opositores do governo antes de serem separados pela PM

Manifestantes pró-Dilma foram para a Avenida Paulista e gritaram pedindo que o boneco fosse retirado(Fabio Braga/Folhapress)

Um grupo de simpatizantes do PT tumultuou neste domingo um protesto organizado na Avenida Paulista, em São Paulo, em frente aos escritórios do Tribunal de Contas da União (TCU). O ato contava com o boneco do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva representado como presidiário, um hit dos protestos de agosto. O ‘Lula Inflado’, como ficou conhecido, foi montado às 10 horas e seria esvaziado às 15 horas, mas a confusão levou os organizadores do protesto a desinflá-lo mais cedo, às 13h55.

O grupo pró-PT cercou o ato no início da tarde e, mesmo com a proteção de grades e a presença da Polícia Militar, houve empurra-empurra e troca de socos e pontapés. De um lado, manifestantes contrários à presidente Dilma Rousseff entoavam: “A nossa bandeira jamais será vermelha”. De outro, simpatizantes petistas defendiam o ex-presidente: “Lula, guerreiro, do povo brasileiro”.

O ‘Lula Inflado’ destacou-se nas manifestações contra o governo petista, teve perfis criados no Twitter e no Facebook e virou meme na internet. Ele voltou a passear por São Paulo na sexta-feira, quando foi atacado por arruaceiros. Uma das organizadoras do ato contra o PT neste domingo, a empresária Meire Lopes, do Movimento Brasil Melhor, afirmou que a intenção do protesto não é de fazer provocações ou gerar confronto. Alegando falta de segurança, os organizadores afirmaram que essa foi a última aparição do boneco na cidade de São Paulo. (Veja/Com Estadão Conteúdo)

LEIA MAIS:

‘Lula inflado’ reaparece em São Paulo, em frente ao TCU

‘Lula inflado’, hit dos protestos, passeia em São Paulo

Miguel Rômulo, Rafael Guisande (proprietário), Ronny Kriwat e Leandro D’Melo

Os atores globais, Miguel Rômulo, Ronny Kriwat e Leandro D’Melo estiveram no último final de semana apresentando o espetáculo “3 na Pista” com realização da Cereja Produções e não poderiam deixar de conhecer o belíssimo restaurante temático Carranca Gulosa, localizado às margens do Rio São Francisco em Petrolina-Pe, onde saborearam o tradicional Camarão na Moranga, Surubim a Maitê e a deliciosa Moqueca de Camarão.

Elenco e equipe “3 na Pista” no Rias de Vigo

Miguel Rômulo com as  funcionárias Carlene Reis e Paula Menezes

Ronny Kriwat e funcionárias

Os atores globais, Miguel Rômulo, Ronny Kriwat e Leandro D’Melo estiveram no último final de semana no Vale do São Francisco, onde apresentaram a peça “3 na Pista” em Juazeiro e foram jantar no recém-inaugurado Restaurante Rias de Vigo, que fica localizado no Quality Petrolina.

O Rias de Vigo é especializado em cozinha espanhola, o seu cardápio eclético explora a culinária mediterrânea com variedade de pratos, além de opções da culinária regional.

Detento é flagrado ao tentar fugir de presídio em tonel de lixo na Bahia (Foto: Divulgação/Sinspeb-BA)

Detento é flagrado ao tentar fugir de presídio em tonel de lixo na Bahia (Foto: Divulgação/Sinspeb-BA)

Um detento da cadeia da cidade de Vitória da Conquista, na região sudoeste da Bahia, foi flagrado tentando fugir da unidade prisional dentro de um tonel de lixo, na manhã deste domingo (30).

Segundo informações da 78ª Companhia Independente de Polícia Militar, Willian Santos Alves cumpre pena por roubo e é ajudante de serviços gerais na cozinha do presídio.

Ele aproveitou o momento em que estava sozinho para entrar no tonel. Em seguida colocou lixo por cima da cabeça, para evitar que fosse descoberto.

O recipiente seria retirado do presídio por um caminhão que faz a coleta de lixo, mas um dos agentes penitenciários desconfiou do peso e, ao abrir o tonel, percebeu que o detento estava dentro.

Em nota, o Sindicato dos Servidores Penitenciários da Bahia (Sinspeb) parabenizou os agentes que estavam de plantão na cadeia, que evitaram a fuga.

O caso será investigado pela Secretaria de Administração Penitenciária e Ressocialização (Seap). O G1 não conseguiu contato com o órgão, na manhã deste domingo. (G1)

Garota de programa é acusada de extorquir cliente por WhatsApp. (Foto: Reprodução / Facebook)

Garota de programa é acusada de extorquir cliente por WhatsApp. (Foto: Reprodução / Facebook)

Uma garota de programa foi presa nesta última quarta-feira (26) após chamar atenção da Delegacia de Repressão aos Crimes Cibernéticos de Pernambuco. Ela é acusada de extorquir um cliente por WhatsApp.

Iane Silveira Melo, de 22 anos, além de atuar como garota de programa usando o nome Nelice, também fazia trabalhos como modelo.

A mulher já havia sido presa em 18 de agosto, mas no dia seguinte recebeu liberdade provisória. Em sua página na internet, ela dizia cobrar R$ 200 por programa.

De acordo com as autoridades, a vítima agendou um programa com Iane em julho, mas não compareceu. Logo depois, a garota de programa teria adicionado o homem no WhatsApp e começado as ameaças.

Ela chegou a descobrir o perfil do rapaz no Facebook, onde descobriu que ele tinha um bebê recém-nascido. “Bom dia senhor. Estou precisando de R$10 mil. Se já não sabe, estava vendo seu baybe (sic) muito lindo. Vai ser um rapaz lindo né? Assim espero. Causar sucesso com as garotas”, escreveu a garota de programa.

Após ser pressionada, a vítima chegou a pagar R$ 5 mil para a garota de programa. Ela ainda obrigava o homem a mostrar fotos do dinheiro para que não entrasse em contato com a sua família.

Presa, Iane negou as acusações, alegando que estava sem celular. O aparelho foi encontrado pela polícia logo depois dentro da calcinha da acusada, descobrindo as mensagens e imagens mostradas pela vítima. (Yahoo/Notícias)

A querida colunista social, cerimonialista e radialista Nélia Lino, conhecida e admirada por todos no Vale do São Francisco, estreia seu “Programa Perfil” nesta segunda-feira (31) na Grande Rio FM 100.7.

Um programa dinâmico, interativo, envolvente, com muitas novidades para os ouvintes. Será apresentado de segunda a sexta das 14h às 15h.

Desejamos sucesso e boa sorte nessa nova jornada!

« Artigos Anteriores  Próxima Página »

Últimos Posts

    Últimos Comentários

      Mais Comentados